USO DO MAPA DE SOLOS COMO SUBSÍDIO PARA DEFINIÇÃO DE ÁREAS DE SUSCETIBILIDADE À EROSÃO NA BACIA HIDROGRÁFICA SÃO JOÃO, LAGOS E UNA

Vanessa Ingrid Carvalho Saraiva, Antonio Soares da Silva, Jefferson Pereira Caldas dos Santos

Resumo


doi: 10.12957/geouerj.2016.19660

A bacia hidrográfica do rio São João, Una e Lagos apresenta fortes contrastes pedológicos, geomorfológicos e climáticos. Esta variação cria condições para que espacialmente os solos respondam de forma diferenciada às ações a são submetidos. Esta bacia também foi alvo de ações retificação de canais fluviais e abertura de canais de drenagem. Ainda que tenham sido realizados estudos de mapeamento de solos de parte da bacia, nenhum estudo para se obter o conhecimento das fragilidades dos solos foi desenvolvido. O objetivo do presente artigo foi o de complementar o mapa de solos da bacia do rio São João, Una e Lagos para então realizar a análise da suscetibilidade à erosão dos solos da bacia. A metodologia do estudo foi dividida em complementação do mapa de solos e a partir do método Delphis e de ferramentas de geotecnologias definir graus de suscetibilidade à erosão dos solos que variaram de “muito baixa” até “muito alta”. O mapa de solos mostra a ampla ocorrência dos Argissolos, que ocupam cerca de 40% da bacia. O mapa de suscetibilidade à erosão dos solos aponta que a classe muito baixa é a de maior proporção espacial, devido ao relevo pouco íngreme de grande parte da bacia, sendo a segunda maior a classe “alta” onde predominam Argissolos sob uso de pastagem.


Palavras-chave


erosão dos solos; mapa de solos; rio São João; bacia de drenagem; Argissolos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/geouerj.2016.19660



Direitos autorais



ISSN: 1415-7543 | E-ISSN: 1981-9021 | JournalDOI: https://doi.org/10.12957/geouerj

Licença Creative Commons