CURRÍCULO, CONHECIMENTO E DISCURSO: UMA EXPERIÊNCIA ESTÉTICA

Guilherme Augusto Rezende Lemos

Resumo


Doi: 10.12957/geouerj.2015.19466

 

O presente artigo tenta pensar a Educação como estética ou como fruição, ou seja, ação de aproveitar ou usufruir de alguma oportunidade, uma utilização prazerosa de algo, um gozo e se concentra em três recortes, o primeiro, desenvolvendo um pouco o conceito de estética, não como filosofia da arte, mas como proposição do próprio homem como obra de arte; o segundo, obsevando um panorama da produção de sentidos em disputa que revela muito mais nosso modo de estar no mundo do que a contraposição de “argumentos verdadeiros”; por fim, aumentando a lente do microscópio, observaremos um mesmo fenômeno social suscitando visões opostas de mundo, para concluir o próprio discurso como fruição.

Palavras-chave


Educação, currículo, estética

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/geouerj.2015.19466



Direitos autorais



ISSN: 1415-7543 | E-ISSN: 1981-9021 | JournalDOI: https://doi.org/10.12957/geouerj

Licença Creative Commons