ESPAÇO E MORTE NAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DAS TRAVESTIS E TRANSEXUAIS FEMININAS

Vinícius Cabral, Joseli Maria Silva

Resumo


doi: 10.12957/geouerj.2016.19286

A pesquisa compreende como os espaços de morte são representados pelas travestis e transexuais femininas. Para a construção do presente artigo foram realizadas oito entrevistas em profundidade com travestis e transexuais femininas que, naquele momento, residiam no estado do Paraná. A estimulação do discurso sobre espaço e morte foi realizada por meio da utilização de notícias sobre este tema, veiculadas em jornais on line. As entrevistas foram analisadas por meio de análise de conteúdo que possibilitou reconhecer os significados instituidores de representações sociais criadas por travestis e transexuais sobre a relação entre espaço e morte. As representações sociais instituídas pelo grupo trazem a ideia de violência crescente, culpabilizando o próprio grupo pela sua condição de marginalidade e, além disso, traz o território da prostituição como possibilidade de vida e simultaneamente de risco de morte.


Palavras-chave


Espaço; Morte; Representações Sociais; Travestis; Transexuais Femininas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/geouerj.2016.19286



Direitos autorais



ISSN: 1415-7543 | E-ISSN: 1981-9021 | JournalDOI: https://doi.org/10.12957/geouerj

Licença Creative Commons