TOPONÍMIA, PODER E IDENTIDADE: UMA ABORDAGEM ACERCA DOS LOGRADOUROS CENTRAIS EM SÃO LUÍS, MARANHÃO

Luiz Eduardo Neves dos Santos

Resumo


doi: 10.12957/geouerj.2016.18873

 

O trabalho apresenta uma discussão acerca da toponímia dos logradouros da cidade de São Luís, no que tange a sua mais antiga área de ocupação, o Centro. Investiga-se historicamente de que forma estes topônimos se formaram e por que alguns deles permanecem e outros não. A análise das relações existentes entre a linguagem toponímica e a identidade do grupo que se apropria dela é outra questão que merece destaque. Procura-se atestar ainda que a nomeação desses logradouros é um traço cultural inquestionável, por isso construtor e externalizador de identidades, mas também se constitui enquanto estratégia de poder, representado pela instituição de leis por parte do poder público que determina a maneira como acontecerá a nomeação. A metodologia de classificação dos topônimos é baseada a partir da proposta de Dick (1992). O objetivo da pesquisa é analisar a importância histórica e socioespacial dos topônimos, resgatando seus antigos nomes e procurando entender quais as reais motivações que o grupo dominante possui no ato da nomeação.


Palavras-chave


Toponímia; Logradouros; Identidade Cultural; Poder; São Luís.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/geouerj.2016.18873



Direitos autorais



ISSN: 1415-7543 | E-ISSN: 1981-9021 | JournalDOI: https://doi.org/10.12957/geouerj

Licença Creative Commons