ÍNDICES DE VEGETAÇÃO OBTIDOS DE IMAGENS MULTIESPECTRAIS APLICADOS NA DISCRIMINAÇÃO DA COBERTURA VEGETAL EM RELEVO MONTANHOSO / VEGETATION RATES OBTAINED FROM MULTISPECTRIC IMAGES APPLIED IN THE DISCRIMINATION OF VEGETABLE COVERAGE IN MOUNTAIN RELIEF

Cristiane Nunes Francisco, Nina Cardoso Gruber

Resumo


Os índices de vegetação são utilizados para investigar as propriedades espectrais da vegetação e podem ser relacionados a parâmetros biofísicos. Também podem ser utilizados para minimizar os efeitos de iluminação causados pela topografia na resposta espectral, o que dificulta a discriminação da fisionomia da vegetação. Para avaliar a eficiência dos índices de vegetação na discriminação da cobertura vegetal em áreas montanhosas, foram calculados dois índices de imagens multiespectrais do LANDSAT8/OLI que cobrem o Maciço da Tijuca, situado na área central da cidade do Rio de Janeiro. Os resultados revelaram que ambos índices (IVDN e RS) foram eficientes para separar os corpos d'água e discriminar as classes de vegetação e não-vegetação. Contudo, a área urbana, sombra e rocha ficaram misturadas, enquanto não foi possível classificar a fisionomia da vegetação devido ao efeito da iluminação nos índices de vegetação. A floresta localizada nas encostas sul, que recebia menor iluminação no momento de coleta dos dados pelo sensor orbital, apresentou índices similares à vegetação herbácea e, desta forma, não foi possível separá-las. Enquanto a floresta localizada nas vertentes norte e oeste, que recebiam menos iluminação solar, apresentaram os maiores índices e não confundiu com outras classes de cobertura da terra. Conclui-se que os índices de vegetação (IVDN e RS) não foram eficientes na minimização dos efeitos topográficos na discriminação da fisionomia da vegetação. Por outro lado, os índices mostraram-se eficientes para demonstrar que as bacias hidrográficas situadas em áreas protegidas apresentaram índices mais elevados do que as bacias localizadas próximas às áreas urbanas.

Palavras-chave


índice de vegetação da diferença normalizada (IVDN), razão simples (RS), índices de vegetação, sensoriamento remoto

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/geouerj.2018.16931



Direitos autorais 2018 Geo UERJ

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

ISSN: 1415-7543 | E-ISSN: 1981-9021 | JournalDOI: https://doi.org/10.12957/geouerj

Licença Creative Commons