A CHUVA ÁCIDA E A CLIMATOLOGIA GEOGRÁFICA NO ENSINO MÉDIO

Laura Cristina da Silva Vasconcelos, Adriana Queiroz do Nascimento, Marcelo Carlos Moreira

Resumo


doi: 10.12957/geouerj.2009.1404

 

A climatologia pode auxiliar os debates sobre mudanças climáticas e as suas conseqüências ambientais e sócio-econômicas. Assim, a climatologia pode ser explorada de diversas maneiras na sala de aula, por exemplo, através da poluição atmosférica e uma de suas implicações: a chuva ácida, que é uma precipitação com elevada concentração de óxido de nitrogênio e dióxido de enxofre. A chuva torna-se ácida quando atinge um pH próximo a 5,6. Nesta perspectiva, o objetivo deste artigo foi desenvolver uma atividade em sala de aula para esclarecimentos e conscientização sobre o tema. Para tanto, foi realizada uma aula sobre o assunto para alunos do 1º ano do Ensino Médio de uma escola pública de Cuiabá, Mato Grosso. Para facilitar o entendimento sobre o pH e despertar o interesse dos alunos foi realizado a experiência do “chá de repolho”, para testar substâncias (ácidas, básicas e neutras) e amostras de água de chuva de Cuiabá. Destaca-se que nas amostras não houve alterações, possuindo um pH dentro do normal (acima de 5,6). Percebeu-se durante a aula o interesse dos alunos em saber quais são as conseqüências da chuva ácida no meio ambiente e na saúde, e se existe chuva ácida no Brasil e em Cuiabá. Discutiu-se também algumas soluções para resolver o problema, alguns alunos deram como sugestões: usar energia solar, biodiesel, gás natural, etc. Portanto a experiência da climatologia na sala de aula, forneceu a oportunidade de contribuir para uma abordagem diferenciada, sobre temas tão comuns na mídia.


Palavras-chave


Chuva Ácida; Climatologia; Sala de Aula.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/geouerj.2009.1404



Direitos autorais



ISSN: 1415-7543 | E-ISSN: 1981-9021 | JournalDOI: https://doi.org/10.12957/geouerj

Licença Creative Commons