URBANIZAÇÃO ACELERADA: RISCO PARA O ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA REGIÃO METROPOLITANA DE GOIÂNIA

Débora Ferreira da Cunha, Elcileni de Melo Borges

Resumo


DOI: 10.12957/geouerj.2015.13816

 

As regiões metropolitanas apresentam problemas de abastecimento de água e tratamento de esgotos, principalmente os relacionados à proteção de mananciais, tratamento e distribuição de águas, pois, são áreas que concentram uma maior diversificação de usos múltiplos dos recursos hídricos. O crescimento da população urbana associado à expansão urbana, à degradação dos mananciais e à contaminação e poluição promovem aumento considerável nas demandas hídricas. Nesse contexto se insere a Região Metropolitana de Goiânia (RMG), que ao longo das últimas décadas, vem passando por um acelerado crescimento populacional e processo de urbanização, demonstrados pelos dados demográficos. Este trabalho propõe-se a discutir os impactos da expansão urbana da RMG na degradação dos mananciais hídricos, como causas do risco de escassez de água na região, evidenciadas pelo acentuado crescimento de assentamentos humanos e empreendimentos industriais nas áreas das bacias hidrográficas, comprometendo a quantidade e qualidade da água para o abastecimento. Entre as ameaças, riscos e limites para o sistema produtor de água da RMG, a estratégia para a gestão da água e enfrentamento do problema foi a construção do Sistema Produtor Mauro Borges, que engloba a barragem do Ribeirão João Leite e um complexo de instalações.


Palavras-chave


Urbanização. Expansão urbana. Abastecimento de água. Gestão da água. Região Metropolitana de Goiânia.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/geouerj.2015.13816



Direitos autorais



ISSN: 1415-7543 | E-ISSN: 1981-9021 | JournalDOI: https://doi.org/10.12957/geouerj

Licença Creative Commons