SÍMBOLOS DOS LUGARES, DOS ESPAÇOS E DOS “DESLUGARES”

João Baptista Ferreira de Mello

Resumo


OS LUGARES SÃO REPLETOS DE SÍMBOLOS TRANSITÓRIOS OU IMORREDOUROS. ASSIM DEFENDEM OS GEÓGRAFOS DO HORIZONTE HUMANÍSTICO. A SIMBOLOGIA NÃO ESTÁ RESTRITA AOS CENTROS DE AFETIVIDADE, DESPOJAMENTO OU EXPERIÊNCIA. OS ESPAÇOS VASTOS, ESTRANHOS, DESCONHECIDOS E DISTANTES, BEM COMO OS “DESLUGARES” MONÓTONOS E REPETITIVOS REÚNEM IGUALMENTE SÍMBOLOS DE GRANDEZAS VARIADAS. NO ÂMBITO DE TAL COMPLEXIDADE, O TEXTO ESTABELECE DISTINÇÃO E UNIDADE AO CARÁTER SIMBÓLICO DOS LUGARES, ESPAÇOS E “DESLUGARES”, EXPLORANDO SÍMBOLOS ÍNTIMOS/INDIVIDUAIS E/OU COLETIVOS, ESQUECIDOS, FORJADOS NA CULTURA, TRANSMITIDOS POR OUTROS OU CRIADOS NOS SONHOS.


Palavras-chave


SÍMBOLOS, LUGARES, ESPAÇOS, DESLUGARES, GEOGRAFIA HUMANÍSTICA

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/espacoecultura.2008.6145

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

Periódico Espaço e Cultura
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco B, sala 4.007, 4° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0343

E-mail: espacoecultura@gmail.com