FORMAS ESPACIAIS SIMBÓLICAS QUE REMEMORAM HISTÓRIAS APAGADAS – MARCAS DA TERRITORIALIDADE JUDAICA EM NILÓPOLIS (RJ)

Enderson Albuquerque, Miguel Angelo Ribeiro

Resumo


A partir de 1928, judeus de origem polonesa e russa migraram para o município de Nilópolis, localizado na Baixada Fluminense, Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Em razão de sua cultura, esses imigrantes construíram espaços sociais e religiosos para manter suas tradições. Desse modo, nosso objetivo consiste em analisar a construção desses espaços, considerando sua relação com os moradores. Posto isso, o artigo apontou que esses espaços, embora tenham sido marcas territoriais de relevância social e econômica da presença dessa colônia no passado, atualmente encerram apenas manifestações de natureza memorísticas no espaço nilopolitano.


Palavras-chave


Formas simbólicas espaciais; Baixada Fluminense; Nilópolis; Cultura judaica; Sagrado

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/espacoecultura.2020.58735

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

Periódico Espaço e Cultura
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco B, sala 4.007, 4° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0343

E-mail: espacoecultura@gmail.com