UM SERTÃO CHEIO DE VAZIOS: LEITURAS GEOGRÁFICAS DA PEDRA DO REINO

Ariel Roemer, Manoel Fernandes de Sousa Neto

Resumo


O presente artigo visa discorrer sobre a importância da leitura do livro “O Romance da Pedra do Reino e O Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta”, de Ariano Suassuna, sob um aspecto geográfico. Trazemos uma pequena trajetória biográfica com o intuito de esclarecer onde o romance em questão entra na obra do autor e na sua formação como sujeito com relação ao espaço representado. Por meio do enredo e de alguns trechos, apresentamos a discussão sobre o esvaziamento do sertão como um espaço estranho e “outro” enquanto relação social. Por fim, apresentamos o esforço de Suassuna em criar um espaço que tem a si próprio como referencial, relacionado, principalmente, aos conceitos de carnaval e cronótopo, de Bakthin. 

Palavras-chave


Geografia; Sertão; Representação; Literatura; Ariano Suassuna

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/espacoecultura.2019.48683

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
Rede Sirius
© Periódico Espaço e Cultura

Rua São Francisco Xavier, 524, bloco B, sala 4.007, 4° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0343

E-mail: espacoecultura@gmail.com