OS SONS COMO LINGUAGENS ESPACIAIS

Alessandro Dozena

Resumo


Nossa experiência espacial envolve a escuta de fontes sonoras musicais e não musicais (naturais ou artificiais), sendo essa experiência subjetivamente apropriada a partir do ordenamento dos sons e dos ruídos no âmbito de nossos padrões de racionalidade. Os ruídos, sons e músicas têm cada vez mais feito parte dos estudos geográficos, sendo que a escuta ativa torna-se valiosa nesse processo, da mesma forma que a visão. O objetivo do presente artigo é evidenciar o fato de que os sons se constituem linguagens espaciais, um meio de comunicar ideias ou sentimentos a partir de fontes sonoras. Essa proposição infere que ao ouvir músicas um indivíduo também "ouve o território", na medida em que características musicais como melodia, harmonia, escala e ritmo, relacionam-se a condicionamentos espaciais específicos.

Palavras-chave


sons; músicas; geografia; linguagem; espacial.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/espacoecultura.2019.48532

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
Rede Sirius
© Periódico Espaço e Cultura

Rua São Francisco Xavier, 524, bloco B, sala 4.007, 4° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0343

E-mail: espacoecultura@gmail.com