DEMOGRAFIA E EDUCAÇÃO E COMUNICAÇÃO COMO FENÔMENOS DE SECULARIZAÇÃO? CORRELAÇÃO ENTRE OS ÍNDICES DE SEGURANÇA EXISTENCIAL E DE RELIGIOSIDADE NA EUROPA

JORGE BOTELHO MONIZ

Resumo


Esta investigação quer dar resposta a dois argumentos essenciais: a ideia de que se chegou a um ponto morto no debate sobre a secularização e de que são precisas novas estratégias teóricas e empíricas para se compreenderem os efeitos dos processos da modernidade na religião. Nesse sentido, inspirando-nos nas proposições de uma das teorias mais atuais, relevantes e sistemáticas da secularização – a segurança existencial –, propomos a criação de um índice de segurança existencial que seja correlacionável com uma medida de religiosidade individual. Chegamos à conclusão de que, para o grupo de países europeus selecionado e para o período temporal examinado (1999-2015), a teoria da secularização, que assevera que as sociedades mais seguras existencialmente são menos religiosas, continua tendo validade empírica.


Palavras-chave


secularização; segurança existencial; índice; religião; demografia; comunicação

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/espacoecultura.2018.47356

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

Periódico Espaço e Cultura
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco B, sala 4.007, 4° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0343

E-mail: espacoecultura@gmail.com