ESPAÇO, IDENTIDADE E MEMÓRIA: O LUGAR EM ERA UMA VEZ EU, VERÔNICA

Maria Helena Braga Vaz da Costa

Resumo


Este trabalho explora os conceitos de identidade e memória, com o objetivo de entender como o espaço urbano da cidade de Recife-PE, representado no filme pernambucano Era Uma Vez Eu, Verônica (Marcelo Gomes, 2012), se constrói como lócus da identidade e da memória dos indivíduos que vivenciam o lugar contextualizado na realidade da vida urbana contemporânea. Apresenta-se aqui uma análise do discurso fílmico baseada nas reflexões e discussões desenvolvidas por teóricos como Stuart Hall (2005) acerca das identidades pós-modernas; Joel Candau (2011) sobre a dialética entre identidade e memória e o narrar como fonte de preservação do tempo, em acordo com uma visão antropológica; Yi-Fu Tuan (1983) e Edward Relph (2012) e suas noções de lugar, e das experiências que transformam o espaço em lugar interferindo na identidade do sujeito contemporâneo.


Palavras-chave


Espaço; Identidade; Memória; Lugar

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/espacoecultura.2016.31757

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

Periódico Espaço e Cultura
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco B, sala 4.007, 4° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0343

E-mail: espacoecultura@gmail.com