A HISTÉRICA E AS BELAS, RECATADAS E DO LAR: MISOGINIA À DILMA ROUSSEFF NA CONCEPÇÃO DAS MULHERES COMO COSTELAS E DOS HOMENS COMO CABEÇA DA POLÍTICA BRASILEIRA

Janaína de Fátima Zdebskyi, Eduardo Meinberg de Albuquerque Maranhão Filho, Joana Maria Pedro

Resumo


Apresentamos, neste artigo, algumas reflexões acerca dos ataques misóginos perpetrados à primeira presidenta do Brasil, Dilma Rousseff, que, atualmente sofrendo processo de impeachment, foi substituída por um governo interino que, assim como parte dos veículos midiáticos do país, representa uma concepção conservadora do papel da mulher na politica e sociedade brasileira. Este padrão ideal de mulher, de acordo com visão reacionária, pode ser sintetizado pela expressão “belas, recatadas e do lar”, enquanto Dilma, a quem se quer criticar a visão política ou o governo, recebe adjetivos como “feia, histérica e vadia”.


Palavras-chave


Dilma Rousseff e misoginia; Michel Temer e conservadorismo; gênero, religião, mídia e política

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/espacoecultura.2015.29077

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
Rede Sirius
© Periódico Espaço e Cultura

Rua São Francisco Xavier, 524, bloco B, sala 4.007, 4° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0343

E-mail: espacoecultura@gmail.com