Políticas Editoriais

Foco e Escopo

A Revista Enfermagem UERJ é uma publicação da Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, criada em 1993. Publica trabalhos originais e inéditos nos campos da Enfermagem, especialmente relacionados às áreas de Enfermagem Médico-Cirúrgica, Obstétrica, Pediátrica, Saúde Mental e Psiquiatria, Saúde Pública e Doenças Contagiosas. Além disso, aceita temáticas na área de saúde e áreas afins, com discussão de temas atuais e relevantes para a saúde humana. Sua publicação, desde 2017, se dá em fluxo contínuo com um volume anual contendo, pelo menos, 100 artigos.

Em consonância às recomendações relacionadas à Ciência Aberta (Open Science), a Revista enfermagem UERJ recebe para avaliação manuscritos previamente disponibilizados em repositórios pré-print (tais como SciELO Preprints, OSFPreprints, SSRN entre outros) e apoia a política de ciência aberta com o depósito de dados em bancos de repositórios nacionais e internacionais (Open Data Repositories, tais como Figshare, Data Dryad, Zenodo entre outros).

Circulação

Caracteriza-se como periódico de circulação internacional, abrangendo predominantemente os países da América Latina e Caribe, embora também tenha circulação nos Estados Unidos, Canadá, França, Suécia, Portugal e Espanha.

A Revista Enfermagem UERJ é afiliada à Associação Brasileira de Editores Científicos (ABEC).

A abreviatura de seu título é Rev. enferm. UERJ, que deve ser usada em bibliografias, notas de rodapé, referências e legendas bibliográficas.

 

Políticas de Seção

Artigos de Pesquisa

Artigos originados de investigação baseada em dados empíricos, que utilizem metodologia científica e incluam introdução, referencial teórico, metodologia, resultados, discussão, conclusão e referências - limitados a 3.500 palavras.

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Artigos de Revisão

Artigos que correspondam à análise de um corpo abrangente e extenso de investigações, relativas a assuntos de interesse para o desenvolvimento da enfermagem e da saúde; privilegia revisões sistemáticas ou narrativas que incluam etapas do processo metodológico em que se baseou - limitados a 3.000 palavras.

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Atualidades

Textos reflexivos ou informativos sobre assuntos relevantes e atuais, com perspectiva de interesse para a enfermagem e a saúde. Exemplos de textos relevantes para a seção: análise de construtos teóricos, levando ao questionamento de modelos existentes na enfermagem e na saúde e a elaboração de hipóteses para futuras pesquisas; intercâmbio de opiniões entre editores e leitores sobre trabalhos publicados - limitados a 2.500 palavras

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Artigos de Reflexão Teórica

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Editorial

Não verificado Submissões abertas Não verificado Indexado Não verificado Avaliado pelos pares
 

Processo de Avaliação pelos Pares

O processo de avaliação por pares realizado na Revista Enfermagem UERJ possui duas etapas principais: (1) Desk review: verificação inicial realizada pelo editor e pelo editor científico responsável pelo processo de avaliação do artigo com o objetivo de verificar: a) aderência ao Foco e Escopo da revista; b) aderência às normas especificadas para submissão de trabalhos; c) qualidade geral e mérito do trabalho. (2) Avaliação por pares (peer review): os artigos que passam no processo de desk review são encaminhados a dois (2) avaliadores e todo o processo de avaliação é realizado no formato double-blind review, preservando a identidade dos autores e avaliadores.

Caso haja divergência nos pareceres dos avaliadores (em termos da decisão de aprovação ou rejeição do trabalho), o editor responsável pelo artigo realiza uma avaliação dos pareceres e do trabalho para tomar a decisão. A decisão (resultado do processo de avaliação) pode gerar os seguintes resultados: (i) aprovação imediata; (ii) revisões precisam ser realizadas no documento; (iii) rejeição. Para o caso (ii) os autores deverão reenviar o trabalho com as modificações solicitadas pelos avaliadores junto com um documento justificando as alterações realizadas (ou não).

Antes de submeter seu artigo para avaliação na Revista Enfermagem UERJ, leia a seção Diretrizes para Autores, que contém mais informações sobre o processo editorial, taxas e instruções adicionais que todos os autores devem seguir.

 

Periodicidade

A Revista Enfermagem UERJ é publicada em fluxo contínuo desde 2017 com um volume anual contendo pelo menos 100 artigos.

 

Política de Acesso Livre

A Revista Enfermagem UERJ é um periódico científico de acesso aberto o que significa que todo o conteúdo está disponível gratuitamente, sem custo para o usuário ou sua Instituição. Os usuários têm permissão para ler, baixar, copiar, distribuir, imprimir, pesquisar ou vincular os textos completos dos artigos, ou usá-los para qualquer outra finalidade legal, sem solicitar permissão prévia do editor ou do autor. Esta declaração está de acordo com a definição da Budapest Open Access Initiative (BOAI) de acesso aberto.

 

Arquivamento

Esta revista utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração. O arquivamento é realizado via Rede CarinianaSaiba mais...

 

Corpo Editorial

Alacoque Lorenzini Erdmann - Departamento de Enfermagem, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil
Antonia Regina Ferreira Furegato - Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, SP, Brasil
Denize Cristina de Oliveira - Faculdade de Enfermagem, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Florence Romijn Tocantins - Escola de Enfermagem Alfredo Pinto, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Francisco Lana - Escola de Enfermagem, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil
Isília Aparecida Silva - Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil
Jane Marcia Progianti - Faculdade de Enfermagem, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
João Silvestre Silva Júnior - Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil
Josicélia Dumet Fernandes - Escola de Enfermagem, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil
Lorita Marlena Freitag Pagliuca - Faculdade de Enfermagem, Universidade Federal do Ceará, CE, Brasil
Luciana Puchalski Kalinke - Departamento de Enfermagem, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, Brasil
Marcia Faria Westphal - Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil
Maria Alves Barbosa - Faculdade de Enfermagem, Universidade Federal do Goiás, Goiânia, GO, Brasil
Maria Helena Palucci Marizale - Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, SP, Brasil
Maria Lucia Seidl de Moura - Instituto de Psicologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Marilda Andrade - Escola de Enfermagem Aurora Afonso Costa, Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, Brasil
Nébia Maria Almeida de Figueiredo - Escola de Enfermagem Alfredo Pinto, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Norma Valéria Dantas de Oliveira Souza - Faculdade de Enfermagem, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Regina Célia Gollner Zeitoune - Escola de Enfermagem Anna Nery, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Rosalina Aparecida Partezani Rodrigues - Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil
Sonia Silva Marcon - Universidade Estadual de Maringá, Maringá, PR, Brasil
Valeria Lerch Lunardi - Escola de Enfermagem, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil
Daniel Gonçalo Eslava - Pontificia Universidad Javeriana, Bogotá, Colombia
Denise Jodelet, École des Hautes Études em Sciences Sociales, Paris, França
Elisabete Borges, Escola Superior de Enfermagem do Porto, Porto, Portugal
Karen Marie Lucas Breda - Department of Health Sciences and Nursing, University of Hartford in West Hartford, Connecticut, USA
Maria Cecilia Bueno Jayme Gallani - Faculté des Sciences Infirmières, Université Laval, Québec, Canadá

 

Código de Ética

Código de Ética

A Revista Enfermagem UERJ adere aos princípios éticos aplicáveis a edição de periódicos científicos e publicação de artigos científicos, princípios esses essenciais para que a revista possa desempenhar seu papel enquanto guardiã do conhecimento científico na área de Enfermagem. Editores, autores e revisores devem seguir esses princípios garantindo a ética e integridade no processo de publicação. A seguir detalhamos os padrões éticos que devem ser seguidos pelos atores envolvidos no processo editorial.

Autoria: a autoria da publicação deve conter apenas indivíduos que contribuíram significativamente para a elaboração do trabalho apresentado. Caso tenha dúvidas em relação à inclusão ou não de um indivíduo como (co)autor, recomendamos ter como referência a taxonomia CRediT (https://credit.niso.org/) a qual inclui 14 categorias de papéis que podem ser desempenhados na elaboração de um artigo científico. O autor que submeter o artigo deve certificar-se de que todos os coautores viram e aprovaram a versão final do artigo e concordaram com sua submissão para publicação na Revista Enfermagem UERJ. Caso os editores da revista identifiquem problemas na autoria do artigo (editores utilização o guia da COPE para identificação deste tipo de problema) os autores serão contatados para prestarem esclarecimentos. Caso seja de fato identificado um problema, o artigo deverá ser retirado do processo de revisão. Ainda em relação à autoria, a inclusão (ou exclusão) de autores do artigo durante ou após o processo editorial estará sujeito a avaliação do editor caso a caso e deverá ter o consentimento de todos os autores do artigo. Não será permitida a adição e remoção de autores após a submissão para avaliação na revista (casos excepcionais serão avaliados pelo Conselho Editorial da revista).

Publicação duplicada: submeter para publicação o mesmo manuscrito (ou um manuscrito com alta similaridade) já anteriormente publicado em outro periódico científico constitui um comportamento de publicação antiético. Caso a duplicidade seja identificada durante o processo editorial os autores serão comunicados e o artigo será retirado do processo. Caso a duplicidade seja identificada após a publicação o artigo estará sujeito a ser retirado da edição em que foi publicado e os leitores da revista serão devidamente informados sobre o caso. Atenção: resultados de estudos previamente publicados em anais de eventos científicos não são considerados como publicação duplicada, devendo ser respeitada a autoria do grupo de pesquisadores. Além disso, os autores deverão informar na submissão a apresentação prévia em evento científico. São aceitos artigos provenientes de teses e dissertações contanto que o trabalho seja citado no artigo submetido.

Plágio: plágio no contexto da Revista Enfermagem UERJ é definido como “apresentação, como se fosse de sua autoria, de resultados ou conclusões anteriormente obtidos por outro autor, bem como de textos integrais ou de parte substancial de textos alheios” (Relatório da Comissão de Integridade de Pesquisa do CNPq, Disponível em: https://www.gov.br/cnpq/pt-br/composicao/comissao-de-integridade/relatorio-comissao--integridade-do-cnpq.pdf). Todos os artigos submetidos à Revista Enfermagem UERJ passam por uma verificação de plágio na etapa de desk-review, na qual a equipe editorial da revista busca diversos trechos do artigo no mecanismo de busca Google. Caso sejam identificados trechos com similaridade (exceto citação direta) e para os quais a reprodução tenha sido total e/ou sem citação, os autores serão contatados para prestarem esclarecimentos. Na ausência de esclarecimentos por parte dos autores os editores arquivarão a submissão. Durante o processo de revisão por pares, os revisores também podem encontrar evidências de plágio. Caso isso aconteça os revisores comunicarão o fato aos editores (apresentando as evidências cabíveis) e os editores investigarão a suspeita de plágio utilizando o seguinte fluxograma do COPE: https://publicationethics.org/files/plagiarism%20A.pdf. Caso a suspeita de plágio seja confirmada, os editores arquivarão a submissão.

Citações e referências: os artigos devem citar literatura apropriada e relevante para apoiar as afirmações realizadas. Autocitação excessiva, citações desnecessárias não condizentes com o conteúdo do artigo apresentado e qualquer outra forma de manipulação de citações são considerados procedimentos antiéticos. Caso seja identificada a manipulação de citações resultará no arquivamento da submissão.

Conflito de interesses: os autores devem declarar qualquer potencial conflito de interesses - seja profissional ou financeiro - que possam tem em relação ao artigo. Os autores também devem divulgar todas as fontes de financiamento com as quais a pesquisa relatada no artigo contou. Caso sejam encontradas evidências de conflito de interesse não revelado, os editores utilizarão o seguinte fluxograma da COPE para proceder com as medidas necessárias: https://publicationethics.org/files/conflict-of-interest-submitted-manuscript-article-cope-flowchart.pdf. Os editores e revisores convidados a avaliarem artigos também precisam revelar conflitos de interesse que possam enviesar o processo editorial, tais como relações pessoais, acadêmicas ou financeiras. Os revisores não devem avaliar manuscritos se acreditarem que estão envolvidos em qualquer conflito de interesses. Se houver um potencial viés, os editores devem passar a liderança do processo do artigo para outro editor.

Fabricação de dados: fabricação de dados é a prática antiética de inventar dados ou resultados de pesquisas e registrá-los ou relatá-los no artigo. A Revista Enfermagem UERJ é estritamente contra a fabricação de dados, visto que esta prática mina a integridade da literatura científica e sua credibilidade, podendo levar a conclusões errôneas. Neste sentido, caso seja encontrada uma suspeita de fabricação de dados em artigos submetidos os editores se comprometem a utilizar o fluxograma do COPE (https://publicationethics.org/files/fabricated-data-submitted-manuscript-cope-flowchart.pdf) para proceder com as ações necessárias. Caso a fabricação de dados seja confirmada, os editores arquivarão a submissão.

Confidencialidade

A Revista Enfermagem UERJ mantém todos os detalhes de um manuscrito submetido em sigilo e não comenta nem publica acerca dos manuscritos enquanto eles estão sob consideração ou quando são rejeitados. Os editores e revisores da Revista Enfermagem UERJ possuem o compromisso de não revelar dados dos manuscritos (ou materiais suplementares) antes de sua publicação, bem como de não usar o conhecimento que adquiriram de um artigo não publicado para promover seus próprios interesses. Caso os revisores sejam acusados de apropriação indevida de ideias de um trabalho em processo de revisão, os editores da Revista Enfermagem UERJ se comprometem a utilizar o seguinte fluxograma do COPE para auxiliar a lidar com essa situação: https://publicationethics.org/files/reviewer-misconduct-suspected-cope-flowchart.pdf

Erros em trabalhos publicados: quando descoberto um erro significativo ou imprecisão em um trabalho publicado, é obrigação do autor notificar imediatamente o editor do periódico e cooperar com o editor para retirar ou corrigir o artigo.

Pesquisas Envolvendo Seres Humanos

Todas as pesquisas que envolvam seres humanos (indivíduos, amostras ou dados) devem ter sido realizadas de acordo com a resolução vigente do Conselho Nacional de Saúde (CNS) - Resolução nº 466, 12 de dezembro de 2012. Antes de iniciar o estudo, os autores devem ter obtido a aprovação ética para todos os protocolos por parte do comitê de ética de sua instituição para confirmar que o estudo atende às diretrizes nacionais e internacionais para pesquisa em humanos. Um documento confirmando a aprovação em comitê de ética deve ser incluída como anexo suplementar à submissão, incluindo o nome do comitê de ética e números de referência (Certificado de Apresentação de Apreciação Ética (CAAE – o qual não deve ser informado no manuscrito) e protocolo de aprovação).

Os autores do artigo devem ter obtido consentimento informado dos participantes do estudo. Uma declaração para confirmar isso deve ser incluída no manuscrito. Os autores devem estar preparados para fornecer cópias datadas assinadas pelos participantes para a equipe editorial da revista, se solicitado.

Diretrizes para apresentação de resultados de pesquisa

Recomenda-se que os autores utilizem as diretrizes da EQUATOR (https://www.equator-network.org/) para reportar adequadamente os resultados de acordo com o tipo de pesquisa realizada. O uso de tais diretrizes na elaboração do manuscrito ajuda a aumentar a confiabilidade e replicabilidade do estudo realizado.