GÊNEROS E SEXUALIDADES: ESCRITAS JUVENIS NA TESSITURA DE ESPAÇOS FRONTEIRIÇOS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

Raquel Carine Martins Beserra Martins Beserra, Maria Eleni Henrique da Silva Henrique Silva

Resumo


O objetivo do trabalho foi compreender como as escritas juvenis, a partir de suas questões referentes aos gêneros e às sexualidades, têm dialogado com a EJA em uma escola pública municipal de Fortaleza. A abordagem teórico-metodológica teve caráter qualitativo, utilizando-se da pesquisa participante com base na dialética, tendo como sujeitos as juventudes da EJA. Dentre os procedimentos, há: a observação participante com registro em diário de campo, as conversas informais, as entrevistas semiestruturadas e as rodas de conversa com jovens. No geral, as escritas juvenis se apresentaram como fronteiras culturais junto à modalidade, caminhando lado a lado, exigindo-nos diálogo. Conclui-se que quando a escola pública não dialoga com as múltiplas culturas com as quais convive, tende a fortalecer a neocolonialidade e as subalternidades impostas na América Latina e no Brasil, afetando os grupos majoritariamente de negros/as, de mulheres, LGBTQI+, de jovens e das classes populares. Para tanto, as escritas juvenis que, por ora, situavam-se na EJA, sinalizavam em seus cotidianos territórios de aprendizagens com traçados de re-existências.


Palavras-chave


Escritas juvenis; Educação de Jovens e Adultos; Gêneros; Sexualidades; Re-existências.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/e-mosaicos.2021.57796

Direitos autorais 2021 Raquel Carine Martins Beserra Martins Beserra, Maria Eleni Henrique da Silva SILVA


ISSN: 2316-9303 | Indexada em: