DAS ORIGENS DA OCUPAÇÃO DA ESCOLA: O CASO DO MST

Fernando José Martins

Resumo


A onda de ocupações das escolas que tomaram o Brasil em 2015 e amplamente em 2016 evidenciaram o fenômeno para os mais diferentes públicos. Ocorre que tal prática já é usada e localizada historicamente em outros espaços e movimentos, inclusive no que tange à escola. O que se quer no presente artigo é evidenciar a ocupação da escola no interior da prática do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST, e assim destacar que muitos contornos comuns da ocupação da escola, estão presentes em experiências, que podem parecer distintas, porém, partilham de um processo de formação política unificado.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/e-mosaicos.2017.30293


ISSN: 2316-9303 | Indexada em: