A arte de construir no Nordeste: um resgate

Madalena Zaccara

Resumo


O espaço arquitetônico no Brasil, após a ruptura com a tradição luso-brasileira, desligou-se de preocupações relacionadas à sua realidade ambiental. Soluções arquitetônicas baseadas em um pensamento de características internacionais, não foram filtradas e adequadas ao seu ambiente tropical. Entre as poucas propostas que se contrapuseram à essa padronização encontra-se a obra, teórica e prática, do arquiteto pernambucano Armando de Holanda. Nos anos 70, quando a concepção modernista da arquitetura e do uso do solo no Brasil e na região refletia principalmente o racionalismo formal de Corbusier, ele já se preocupava com o abandono das tradições construtivas nordestinas. Sua publicação Roteiro para construir no Nordeste é uma antecipação da preocupação contemporânea com conceitos que priorizam a harmonia do espaço arquitetônico com o meio ambiente. Nosso trabalho tem como objetivo resgatar suas ideias e inseri-las no diálogo espaço arquitetônico/meio ambiente que acontece na contemporaneidade. Ele faz parte da ação do Grupo de Pesquisa Arte Cultura e Memória.

Palavras-chave


arquitetura; nordeste; meio-ambiente Armando de Holanda

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/contemporanea.2010.705

Indexada em: Latindex . Univerciência . Doaj
Rua São Francisco Xavier, 524 -10 º Andar - Sala 10129 Bloco F - Maracanã - Rio de Janeiro - RJ
cep: 20550-013 | E-mail: ppgcomdivulga@gmail.comcontemporanea.revista@gmail.com

Facebook: facebook.com/contemporanea.uerj