O que faz este bandido boçal entre a sociedade de controle e a crise de ação?

Marcelo Carvalho

Resumo


Para o filósofo Gilles Deleuze, as sociedades de controle vieram substituir as antigas sociedades de disciplina estudadas por Michel Foucault. Concomitantemente, ainda segundo Deleuze, o cinema passava por uma mutação própria, da imagem-movimento para a imagem-tempo. Entre os dois regimes de imagens, desenvolveu-se um cinema de transição que atestava tanto o desmonte da imagem sensório-motora (imagem-movimento), quanto a constituição da imagem-tempo (com as imagens óticas e sonoras puras). Nossa hipótese é que as duas mutações (da sociedade pós-industrial e do cinema) têm pontos de contato e tentaremos demonstrá-los por intermédio do filme O Bandido da Luz Vermelha (1968), de Rogério Sganzerla, filme que apresenta características da transição entre os dois regimes de imagens.


Palavras-chave


Cultura urbana; Sociedades de Controle; Imagem-Movimento; Imagem-Tempo; O Bandido da Luz Vermelha

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/contemporanea.2009.315

Indexada em: Latindex . Univerciência . Doaj
Rua São Francisco Xavier, 524 -10 º Andar - Sala 10129 Bloco F - Maracanã - Rio de Janeiro - RJ
cep: 20550-013 | E-mail: ppgcomdivulga@gmail.comcontemporanea.revista@gmail.com

Facebook: facebook.com/contemporanea.uerj