A mídia e o imaginário da mulher na sociedade: Estudo comparativo de suplementos femininos nas décadas de 50 e 90

Fernanda Valles Paulo

Resumo


A história da mulher no Ocidente é marcada por lutas. Destinada a dar à luz, amamentar e cuidar da prole, a mulher foi relegada durante séculos a um segundo plano. Por muitos séculos foi tida como maldita e queimada na fogueira como bruxa. Por suas formas consideradas demoníacas, foi sujeitada a um sem número de violências, torturas e mutilações. Na Idade Média, Epístolas como as de São Paulo e Santo Agostinho consideravam a mulher culpada do pecado original e aconselhavam o casamento como um remédio, um freio e uma segurança. Comparando tal ideologia com a vigente na Antigüidade, é difícil acreditar que a Antiga Grécia buscava um certo equilíbrio nas relações entre homem e mulher, sendo o casamento então considerado alicerce fundamental na organização da sociedade.

Palavras-chave


mulher; gênero; imaginário



DOI: https://doi.org/10.12957/contemporanea.2003.21238

Indexada em: Latindex . Univerciência . Doaj
Rua São Francisco Xavier, 524 -10 º Andar - Sala 10129 Bloco F - Maracanã - Rio de Janeiro - RJ
cep: 20550-013 | E-mail: ppgcomdivulga@gmail.comcontemporanea.revista@gmail.com

Facebook: facebook.com/contemporanea.uerj