Campanha negativa: construindo o objeto de estudo

Fabro Steibel

Resumo


O artigo explora a campanha negativa (negative advertising) como tema possível para pesquisa no contexto brasileiro, argumentando que enquanto esta forma de campanha é ato cotidiano para agentes do judiciário, da política e do jornalismo, a academia nacional vem dando pouca atenção ao assunto. Os efeitos da campanha negativa para a democracia já foram amplamente debatidos em outros países, tais como EUA, Inglaterra e Alemanha, e se referem a um elemento chave para compreensão do processo de “modernização das campanhas”. Este desnível de atenção nacional levanta, portanto, a curiosidade em verificar e classificar as peculiaridades da campanha negativa brasileira, como também em identificar a singularidade gerada pelo “Direito de Resposta”, um sistema único nos estudos comparativos de controle de conteúdo através da via judicial.

Palavras-chave


comunicação; jornalismo; eleições

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/contemporanea.2005.17148

Indexada em: Latindex . Univerciência . Doaj
Rua São Francisco Xavier, 524 -10 º Andar - Sala 10129 Bloco F - Maracanã - Rio de Janeiro - RJ
cep: 20550-013 | E-mail: ppgcomdivulga@gmail.comcontemporanea.revista@gmail.com

Facebook: facebook.com/contemporanea.uerj