A pessoa com deficiência e seu corpo no filme nacional Feliz Ano Velho

Marcio Alves de Albuquerque

Resumo


O filme Feliz ano velho (1986), de Roberto Gervitz, foi um dos poucos no cinema brasileiro, durante a década de 1980, a abordar a deficiência física a partir do seu personagem principal, Mário. Este artigo também analisa os estigmas que o corpo com deficiência carrega e que acabam por confirmar situações de preconceito vividas pelo personagem. Uma nova vida, apesar de suas limitações, parece ser uma das surpresas deste filme que discorre sobre como a deficiência, em particular a tetraplegia, foi retratada no cinema brasileiro neste período.

Palavras-chave


Cinema, Corpo e pessoa com deficiência

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/contemporanea.2008.17090

Indexada em: Latindex . Univerciência . Doaj
Rua São Francisco Xavier, 524 -10 º Andar - Sala 10129 Bloco F - Maracanã - Rio de Janeiro - RJ
cep: 20550-013 | E-mail: ppgcomdivulga@gmail.comcontemporanea.revista@gmail.com

Facebook: facebook.com/contemporanea.uerj