Sebastião Salgado: o problema da ética e da estética na Fotografia Humanista

Carla Victoria Albornoz

Resumo


A fotografia humanista de Sebastião Salgado tem gerado tanto polêmica, como admiração. A mensagem engajada que transmite através de suas imagens em preto e branco sobre a situação extrema na qual vive uma parte da população mundial impactam pela sua beleza. Alguns o consideram um fotojornalista com uma forte sensibilidade estética e humanitária. Para outros, Salgado representa o maior expoente de um movimento que se aventura na procura de uma estética dentro da miséria. O que resulta inquestionável é que a temática que Salgado desenvolveu ao longo de seu trabalho foi a de apreciar a condição humana, independentemente do contexto, lugar, ou tempo. Através de uma técnica fotográfica purista, Salgado parece captar o que existe de mais essencialmente humano nas pessoas retratadas. A leitura de suas imagens parece simples, embora nelas estejam amalgamadas uma complexidade de elementos capazes de outorgar um caráter imaginário às imagens que transcende o aparentemente casual da fotografia, incrementando assim a profundidade da sua obra. Tornando visível aquilo que em aparências é invisível: a condição humana. Mas, além de tudo, a obra de Salgado abriu o debate sobre se é possível uma estética da miséria e quais são as suas implicações para as questões éticas.

Palavras-chave


Fotografia; Condição humana; Estética; Ética.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/contemporanea.2005.17069

Indexada em: Latindex . Univerciência . Doaj
Rua São Francisco Xavier, 524 -10 º Andar - Sala 10129 Bloco F - Maracanã - Rio de Janeiro - RJ
cep: 20550-013 | E-mail: ppgcomdivulga@gmail.comcontemporanea.revista@gmail.com

Facebook: facebook.com/contemporanea.uerj