MEMÓRIAS DA INFÂNCIA E DA ADOLESCÊNCIA NO ESPAÇO AFRICANO EM CADERNO DE MEMÓRIAS COLONIAIS, A ÁRVORE DAS PALAVRAS E O RETORNO

Cristina Arena Forli

Resumo


Tendo em vista a preponderância da utilização de memórias da infância e da adolescência na literatura contemporânea e a problematização da experiência do colonialismo português na África, este artigo tem como enfoque a análise dessas memórias em relação ao espaço do continente africano. Para tanto, optou-se por utilizar como corpus os seguintes romances: Caderno de memórias coloniais (2009), de Isabela Figueiredo, A árvore das palavras (1997), de Teolinda Gersão, e O retorno (2012), de Dulce Maria Cardoso. Essas narrativas enfatizam o processo de formação desses sujeitos, que ocorre em concomitância a um momento histórico extremamente violento como é o colonialismo. Compreende-se essas memórias como subterrâneas (POLLAK, 1989) devido ao fato de assumirem a via da contramão do discurso histórico oficial. Dessa forma, o despertar para si e para o mundo acontece pelos olhos de quem vê com estranhamento muitas das ações tidas como naturais por adultos devido ao fato de estarem menos condicionados a um sistema disciplinar (FOUCAULT, 2004). Compõem o aporte teórico deste estudo autores como Maurice Halbwachs, Michael Pollak, Michel Foucault, entre outros.


Palavras-chave


Memórias da infância e da adolescência. Literatura contemporânea em língua portuguesa. Espaço africano.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/seminal.2022.60262

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1414-4298 | e-ISSN: 1806-9142

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.