LITERATURA JUVENIL BRASILEIRA E INTERTEXTUALIDADE: O JOVEM E SEUS ENCONTROS COM LEITURAS OUTRAS

Andréia de Oliveira Alencar Iguma, Marisa Martins Gama-Khalil

Resumo


O presente artigo, escrito a quatro mãos – orientanda e orientadora, nasce a partir de reflexões tecidas em uma pesquisa de doutoramento (fase de conclusão) que tem como objetivo analisar as representações dos jovens protagonistas das obras premiadas pela FNLIJ (2000 a 2017). Para este momento, afunilaremos nossos olhares em dois pontos específicos: focalizar acerca da literatura entendida como juvenil e analisar especificamente a contribuição das alusões intertextuais presentes na narrativa O fazedor de velhos (2008), do escritor Rodrigo Lacerda. Para tanto, nos apoiaremos em alguns estudiosos que têm contribuído com a consolidação da LJ enquanto sistema, sendo eles, Ceccantini (2010), Ramos (2016), Navas (2016), e a fim de pensar a intertextualidade partiremos da noção de dialogismo de Bakhtin (1997) e do conceito intertextualidade cunhado por Kristeva (1974).


Palavras-chave


Intertextualidade; Juventudes; Literatura juvenil brasileira

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/cadsem.2020.48173

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1414-4298 | e-ISSN: 1806-9142

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.