Criatividade no processo de design: do projeto ao uso de produtos

Raquel Ponte, Lucy Niemeyer

Resumo


A compreensão do projeto e do uso de produtos como uma dicotomia pode ser vista como uma consequência da forma de produção que foi estabelecida após a revolução industrial. O design consistiria na parte projetual dos produtos, a fim de materializá-los, e era considerado como a fase em que a criatividade reinava. O uso era visto como uma etapa adiante em que um consumidor passivo utilizava os produtos conforme os fins estabelecidos no projeto. Essa mentalidade vem mudando nas últimas décadas, uma vez que se tem percebido que os usuários interagem criativamente com objetos de design. Baseado na filosofia de Charles Sanders Peirce, este artigo questiona se a criatividade continua ao longo do processo de design, não apenas no projeto mas também no uso dos produtos. Para tal, a concepção e a materialização dos produtos de design serão vistas sob um ponto de vista pragmático, em que esses objetos podem ser entendidos como signos que evoluem em uma semiose infinita.

Palavras-chave


criatividade; design; usuário; projeto; pragmatismo; semiótica; creativity; user; project; pragmatism; semiotics

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/arcosdesign.2013.9998

Apontamentos

  • Não há apontamentos.