A CONSTITUIÇÃO ENUNCIATIVO-DISCURSIVA DO QUADRO HERMENÊUTICO NO CONTO MENINA BONITA BORDADA EM ENTROPIA, DE CIRILO S. LEMOS

Ricardo Celestino

Resumo


Neste artigo temos como tema o estudo da constituição enunciativo-discursiva do quadro hermenêutico em discursos literários extraídos do conto Menina bonita bordada em entropia, de Cirilo Lemos. Por objetivo primário, examinamos as condições para a consolidação de um quadro hermenêutico sob o referencial teórico-metodológico da Análise do Discurso de tendência francesa (AD), especificamente proposta pelos estudos de Maingueneau (2014). Em seguida, temos como objetivos identificar as formações discursivas da Ficção Científica, da Física e da Metaficção, a fim de refletirmos como os três campos discursivos auxiliam-nos na consolidação do quadro hermenêutico. Identificamos que a Ficção Científica escrita no Brasil é produtiva para os estudos críticos, dado o desempenho estético de seus discursos e a exigência de um coenunciador maduro que abra mão da perspectiva realista e busque alternativas no interdiscurso para a construção dos efeitos de sentido de um novo mundo a ser desbravado e explorado. Ainda, a metaficção, proposta pela crítica literária pós-moderna, oferece-nos um caminho produtivo para a análise da prática enunciativo-discursiva dos textos literários do gênero. Por a FC empreender enunciados que provocam o estranhamento e a comparação constante de realidades por parte do coenunciador, a metaficção organiza caminhos para o estabelecimento de um quadro hermenêutico que amadurece o olhar do leitor sem levá-lo a uma leitura única do texto literário, limitando sua hermeneia.



Palavras-chave


ficção científica brasileira; metaficção; quadro hermenêutico; análise do discurso.

Texto completo:

Leitura / Impressão


DOI: https://doi.org/10.12957/abusoes.2020.46445

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Abusões
e-ISSN: 2525-4022