PERSONAGEM E FENÔMENO FANTÁSTICOS: A DIALÉTICA DE JOËL MALRIEU EM FERIADO DE MIM MESMO, DE SANTIAGO NAZARIAN

Márcio Henrique de Almeida Soares

Resumo


Joël Malrieu, em Le fantastique (1992), atribui o núcleo da narrativa fantástica à dialética, o embate, entre uma personagem regular e um fenômeno extraordinário que com ela entra em contradição. Partindo desse pensamento e do pressuposto de que o fantástico, segundo o modelo estudado por Malrieu, ainda se faz presente na contemporaneidade, buscamos investigar a manifestação dessa dialética no romance Feriado de mim mesmo (2005), de Santiago Nazarian. Para tal, nos utilizamos, além do aparato teórico, de uma análise comparativa entre a obra em questão e diversos textos fantásticos do século XIX, época de maior projeção desse tipo de literatura. Assim, esperamos compreender as implicações da dialética de Malrieu em Feriado de mim mesmo, bem como em que grau o romance de Nazarian se aproxima ou se distancia desse modelo tradicional, e, finalmente, a validade de se classificar ou não essa obra como narrativa fantástica.

DOI: 10.12957/abusoes.2017.30282


Palavras-chave


Santiago Nazarian; Feriado de mim mesmo; Joël Malrieu; Fantástico

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/abusoes.2017.30282

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Abusões
e-ISSN: 2525-4022