O FANTÁSTICO COMO ELEMENTO TRANSGRESSOR DO DISCURSO EM HISTÓRIAS DE ALEXANDRE

Lilliân Alves Borges

Resumo


Nesta proposta, buscaremos analisar de modo que a irrupção do fantástico funciona como agente de transgressão discursiva na narrativa, possibilitando, assim, que a personagem principal da obra, Alexandre, saia do silêncio, ganhando voz. Assim, buscaremos mostrar que, na obra Histórias de Alexandre de Graciliano Ramos, todas as personagens pertencem a um lugar de silenciamento discursivo, porém Alexandre, ao verificar a desigualdade social em que vive e seu consequente silenciamento, escapa de (re)criar sua vida e a si mesmo a partir de um discurso permeado por acontecimentos fantásticos.

DOI: 10.12957/abusoes.2017.30279


Palavras-chave


Literatura fantástica; Discurso; transgressão; Histórias de Alexandre

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/abusoes.2017.30279

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Abusões
e-ISSN: 2525-4022