A MORTE VAI À FESTA: DAS RELAÇÕES ENTRE O CARNAVAL E AS DANÇAS MACABRAS

Juliana Schmitt

Resumo


A fabulação da morte invadindo as festas dos homens, como o Carnaval, interrompendo abruptamente a atmosfera de júbilo e prazer e trazendo a dor e a tragédia, faz parte do imaginário ocidental desde pelo menos o fim da Idade Média. Ela se encontra inúmeras vezes com o gênero das danças macabras, surgido no século XV, que ensina a universalidade e a imprevisibilidade do óbito. Nesse artigo, buscamos essas convergências, evocando obras literárias e autores que trataram do tema, notadamente o poeta e escritor alemão Johann W. von Goethe (1749-1832), entre outros.

DOI: 10.12957/abusoes.2017.29721


Palavras-chave


Carnaval; Morte; Danças Macabras; Idade Média; Romantismo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/abusoes.2017.29721

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Abusões
e-ISSN: 2525-4022