CHAMADA PARA PUBLICAÇÃO (2021)

Gótico, Fantástico e Ficção Científica: séries cinematográficas, televisivas e de streamings

A literatura do século XIX testemunhou o surgimento de diversos tipos de narrativas e a confluência de diversas tradições literárias.  O gênero romance, em sua infância, como propõe Ian Watt, atuou como um ponto de convergência de novos e antigos temas e modos narrativos que se desenvolveram ao longo do século. O romance Frankenstein (1818), por exemplo, reuniu o jovem legado do romance gótico surgido no século XVIII com a então nascente ficção científica (da qual é frequentemente considerado o primeiro exemplo) que eclode a partir da Revolução Científica. O fantástico, presente de diversas formas na literatura desde o seu surgimento, encontrou eco nas novas formas literárias que apareceram. Confluências deste tipo culminaram na pluralidade de gêneros que é característica do século XX e que se mantém crescente nas primeiras décadas do século XXI.

O século XX também firmou uma sólida colaboração entre a literatura e o cinema, tendo no gótico, no fantástico e na ficção científica algumas de suas formas mais relevantes e populares. A partir do desenvolvimento das tecnologias e do mercado de entretenimento audiovisual, este tipo de literatura despontou também na televisão para, mais recentemente, ocupar um espaço de destaque em video games e em plataformas de streaming, que têm dado preferência à serialização desse tipo de narrativa tanto em adaptações quanto em criações originais pensadas como longas experiências de imersão em universos nos quais o gótico, o fantástico e a ficção científica se encontram com frequência.

Este dossiê acolherá textos que reflitam sobre aspectos econômicos, comerciais, tecnológicos, culturais, literários e filosóficos de séries cinematográficas, televisivas e de streaming que explorem universos do gótico, do fantástico, da ficção científica e/ou de suas intersecções e confluências. Espera-se receber contribuições que transitem por uma vasta gama de abordagens teóricas e temáticas, por diversas formas, tendências e culturas produzidas pelo pensamento moderno e retratadas nas séries que ocupam, no imaginário cultural popular do século XXI, o espaço antes ocupado pelo romance do século XIX.