Sexualidad, Salud y Sociedad

REVISTA LATINOAMERICANA

ISSN 1984-6487 / n.7 - abr. 2011 - pp.4-6 / Carrara, S. / www.sexualidadsaludysociedad.org

Editorial

Sergio Carrara

O primeiro número deste ano de Sexualidad, Salud y Sociedad – Revista Latinoamericana traz um conjunto de textos originais – artigos e resenhas –que, em múltiplos eixos temáticos, estabelecem diálogos importantes, tanto entre si quanto com a cada vez mais densa literatura latino-americana sobre gênero e sexualidade.

Do ponto de vista teórico, quase todos os textos giram em torno das delicadas tramas e armadilhas de constituição, reprodução e transformação das subjetividades e das identidades sociais. Vários deles referem-se a contextos em processo de intensa mudança, nos quais antigas expectativas relativas a performances de gênero aparecem deslocadas ou desfiguradas. Este é o caso, por exemplo, das masculinidades heterossexuais, tematizadas nos artigos de Souza Ramos e Cantalice. Ambos abordam o modo como as identidades masculinas vêm sendo reconfiguradas na mídia e em certos mercados afetivo-sexuais, incorporando aspectos tradicionalmente atribuídos ao universo feminino. Em larga medida, tais reconfigurações se processam sobre o pano de fundo da crescente visibilidade política e cultural das identidades gays, lésbicas, transexuais, travestis, drags etc., objeto central de preocupação nos textos de Rabbia & Iosa; Silva Júnior; e Santos, Costa, Carpenedo & Nardi.

As resenhas dos livros de Lobert e Cosse remetem os leitores ao momento histórico dos quase míticos “anos 60”, em que, embaralhando papéis, códigos e moralidades, as atuais e paradoxais gramáticas de gênero e sexualidade fizeram sua “estreia” espetacular através de irreverentes produções culturais, como a dos Dzi Croquettes no Brasil, que, como constava no título original do trabalho de Lobert, colocavam “uma resposta difícil de perguntar”. Enfim, parece-nos que é justamente para a formulação desta “pergunta”, foco desde então da atenção de teóricos de feitios tão diferentes como Butler, Lacan ou Foucault, que o artigo de Peller traz contribuição significativa.

Ressaltamos também que, diferente dos anteriores, este número volta-se especialmente para a análise da chamada “produção cultural”. Nele, autores novos ou que apenas recentemente se inclinaram para as questões contempladas pela revista refletem sobre os sentidos, os modos de recepção e os possíveis usos sociais de filmes, revistas e espetáculos artísticos. Amplia-se assim o espectro temático da revista e, esperamos, também o universo dos leitores, que podem encontrar nela subsídios para os seus trabalhos, pesquisas e reflexões.




Fuentes de indización:

SciELO Brasil - Scientific Electronic Library Online

LATINDEX - Sistema regional de información en línea para revistas científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal

CLASE - Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades

DOAJ - Directory of Open Access Journals

REDALYC - Red de Revistas Científicas de América Latina y El Caribe, España y Portugal

 

Patrocínios:

UERJ - Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2009-2020)

FORD FOUNDATION (2009/2010/2011)

IPEA - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, Brasil (2012)

FAPERJ - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro, Brasil (2012/2013/2014)

CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, Brasil (2013/2014/2015/2019)

CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, Brasil (2013/2017/2018)

CEPESC - Centro de Estudos e Pesquisa em Saúde Coletiva (2016)