Os limites do enunciado apofântico e a posição ontológica da lógica: uma interpretação do §33 de Sein und Zeit

Felipe Maia da Silva

Resumo


O §33 cumpre um papel central na analítica existencial do Dasein em Sein und Zeit, uma vez que introduz a destruição fenomenológica do conceito tradicional – lógico – de lógos, preparando o caminho para uma análise construtiva da Rede. Nosso objetivo neste artigo é expor as principais camadas argumentativas da destruição lógico-ontológica ali presente, que apontam justamente para os limites ou as origens existenciais do enunciado apofântico (Aussage), realçando, paralelamente, o diálogo velado de Heidegger com a tradição – e especialmente com Aristóteles.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/ek.2019.42722

ISSN - 2316-4786 (on-line)

Programa de Pós-Graduação em Filosofia | Instituto de Filosofia e Ciências Humanas | Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Rua São Francisco Xavier, 524, Pavilhão - João Lyra Filho, 9 andar, Bloco F, sala 9037, Maracanã, Rio de Janeiro, RJ - Cep: 20550-013