Uma releitura do cuidado heideggeriano a partir do primado ontológico da afetividade

Chiara Pasqualin

Resumo


Com base na ideia do “projeto lançado” e na análise da angústia desenvolvidas em Ser e tempo, pode-se interpretar a relação entre os dois existenciais fundamentais no sentido de um primado ontológico da afetividade (Befindlichkeit) em relação à compreensão (Verstehen). A afetividade é aquela via de acesso preliminar ao horizonte fenomenal na qual é fundada a possibilidade da compreensão. À luz desta primazia, a afetividade não constitui somente um momento estrutural do cuidado ao lado do projeto e do ser-junto-a, mas acaba por representar o elemento fundamental que torna possível tanto a compreensão quanto a interpretação. Esta relação formal destacável na ontologia fundamental está presente também no pensamento heideggeriano da história do Ser. Um conceito parcialmente reformulado de Befindlichkeit não somente continua a desempenhar um papel central nas Contribuições à filosofia, mas mantém também aquela prioridade que já era reconhecível na ontologia fundamental.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/ek.2016.22773

 

ISSN - 2316-4786 (on-line)

Programa de Pós-Graduação em Filosofia | Instituto de Filosofia e Ciências Humanas | Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Rua São Francisco Xavier, 524, Pavilhão - João Lyra Filho, 9 andar, Bloco F, sala 9037, Maracanã, Rio de Janeiro, RJ - Cep: 20550-013