Análise da escolha profissional:orientação ou libertação?

Ana Maria Lopez Calvo de Feijoo, Myriam Moreira Protasio, Vanessa da Cunha Magnan

Resumo


DOI: http://dx.doi.org/10.12957/ek.2014.14076

Neste trabalho pretendemos apresentar elementos que diferenciem a orientação vocacional, conforme é tradicionalmente conhecida, do modo de atuação do analista existencial frente à escolha profissional.  Designamos este modo de atuar de Análise da Escolha Profissional (AEP), num diálogo afinado com os filósofos da existência Kierkegaard e Heidegger. Tomaremos, inicialmente, alguns textos do filósofo Soren Kierkegaard - Rotação dos cultivos, O estético e o ético na formação da personalidade e A repetição - onde são apresentadas algumas possibilidades de orientação, sempre fundadas na figura de um conselheiro.  Em seguida acompanharemos o desenvolvimento da trama apresentada pelo poeta alemão Rainer Maria Rilke no livro Cartas a um Jovem Poeta, aonde vai sendo descrita uma situação em que alguém, em dúvida sobre que carreira seguir, recebe orientações do poeta autor do texto.  Assim, buscaremos esclarecer a proposta aqui defendida, de uma Análise da Escolha Profissional de inspiração fenomenológico-existencial.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/ek.2014.14076

 

ISSN - 2316-4786 (on-line)

Programa de Pós-Graduação em Filosofia | Instituto de Filosofia e Ciências Humanas | Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Rua São Francisco Xavier, 524, Pavilhão - João Lyra Filho, 9 andar, Bloco F, sala 9037, Maracanã, Rio de Janeiro, RJ - Cep: 20550-013