De Brighton a Tramandaí: a vilegiatura marítima e a invenção da praia

Autores

  • Lilian Oliveira Trevisan Lima Universidade Federal de Pelotas

Resumo

O presente artigo propõe-se a analisar a mudança da mentalidade ocidental em relação ao território da praia — o que ocorreu a partir do século XVIII — e o nascimento e expansão da prática da vilegiatura marítima. Com esse intuito, será traçado um paralelo entre a cidade inglesa de Brighton, esta que pode ser considerada como o berço dessa prática no ocidente, e a cidade de Tramandaí, no litoral norte do Rio Grande do Sul, um dos primeiros destinos dos vilegiaturistas nesse estado. Assim, serão analisados os fatores que levaram ao desenvolvimento da vilegiatura marítima nessas duas localidades, características que esses espaços têm em comum, razões para seus pioneirismos nessa prática, além transformações que essa atividade exerceu em ambas as cidades.



Biografia do Autor

Lilian Oliveira Trevisan Lima, Universidade Federal de Pelotas

Mestranda no Programa de Pós Graduação em História da Universidade Federal de Pelotas (UFPel).

Downloads

Publicado

2024-04-19

Como Citar

Lima, L. O. T. (2024). De Brighton a Tramandaí: a vilegiatura marítima e a invenção da praia. Dia-Logos: Revista Discente Da Pós-Graduação Em História, 17(1). Recuperado de https://www.e-publicacoes.uerj.br/dia-logos/article/view/77082

Edição

Seção

Artigos Livres