O INSÓLITO E FANTÁSTICO EM ENCLAUSURADO, DE IAN MCEWAN

Conteúdo do artigo principal

Gabriel Felipe da Silva

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar a presença do insólito e do fantástico na obra Enclausurado, escrita por Ian McEwan. O texto é um narrado por um feto com inteligência excepcional. Para realizar essa investigação e entender a obra dentro de um gênero literário, recorreremos a Todorov (1981, 2013). A fim de compor o arcabouço teórico para discutirmos a suspensão da incredulidade, trouxemos Eagleton (2021) e Candido (2023) para auxiliar a discussão. Ao longo dessa análise, constatamos que a teoria todoroviana não nos oferece elementos suficientes para entender em termos de gênero o livro em discussão, sendo o fantástico-estranho a categorização que mais se aproxima, de acordo com os postulados de Todorov. Diante disso, bebendo de outras fontes, compreendemos, por fim, que outro caminho possível é entender o fantástico enquanto modo (BÉSSIERE 2001; CESERANI, 2006), e não como gênero, a fim de abarcar as variadas formas de textos insólitos que seriam deixados de fora, caso elegêssemos a teoria todoroviana como a única possível.

Detalhes do artigo

Como Citar
FELIPE DA SILVA, Gabriel. O INSÓLITO E FANTÁSTICO EM ENCLAUSURADO, DE IAN MCEWAN. Abusões, Rio de Janeiro, v. 23, n. 23, 2024. DOI: 10.12957/abusoes.2024.79299. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/abusoes/article/view/79299. Acesso em: 22 jul. 2024.
Seção
Abismo e vertigem: dinâmica da personagem na ficção fantástica
Biografia do Autor

Gabriel Felipe da Silva, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Federal Fluminense (UFF)

Mestrando em Estudos Literários - UERJ, Mestrando em Ciência da Literatura - UFRJ, Especialista em Teoria da Literatura e Literatura Brasileira - Focus, Bacharel e Licenciado em Letras - UNESA. Graduando em Letras - Italiano - UFF.