A GEOGRAFIA COMO CIÊNCIA DAS PRÁTICAS E DOS SABERES ESPACIAIS - POR UM NOVO MODELO CLÁSSICO DE ORGANIZAÇÃO CURRICULAR

Marcos Antonio Campos Couto

Resumo


O objetivo é a definição do “clássico” como subsídio aos critérios de montagem de currículos e programas. Fundamental à compreensão da função social da geografia, o artigo apresenta a forma como ao longo da história o discurso e a prática geográfica foram sendo construídos até a sua institucionalização na escola e na universidade. O termo “clássico” não se refere, necessariamente, ao que é tradicional (no sentido negativo do termo), tampouco se opõe ao moderno; mas o que capta questões nucleares do desenvolvimento histórico das sociedades. O texto apresenta o desenvolvimento das matrizes clássicas do pensamento e da prática geográfica (Tatham, 1959; Moreira, 2014). A partir da definição da geografia como ciência das práticas e dos saberes espaciais e do “clássico” como critério de definição dos conteúdos escolares, propõe novo modelo de organização de programas e currículos.

Texto completo:

5-25


DOI: https://doi.org/10.12957/tamoios.2017.30150

ISSN: 1980-4490

Periódicos Capes Resultado de imagem para logotipo biblioteca nacional