PASSADO E PRESENTE: A CONSTRUÇÃO DA TERRITORIALIDADE AFRO-BRASILEIRA E INDÍGENA NA CIDADE DE GOIÁS-GO

Rosembreg Ferracini

Resumo


O texto a seguir é fruto de uma primeira reflexão em torno da discussão da territorialidade afro-brasileiro e indígena na Cidade de Goiás. Nosso ponto de partida é a cultura dos índios Goyases e os negros de Moçambique, Congo e Guiné Bissau trazidos para o sertão goiano. A ação no território dos mesmos nos dias de hoje acontece através do exemplo de duas escolas “Espaço Cultural Vila Esperança” e “Quilombinho,” que mantém os traços de influência no espaço, através de manifestações artistícas. De origem nos períodos mineratórios a Cidade de Goiás possui fortes traços do cristianismo, no qual o mesmo impediu a ascensão de tais atividades. Neste caso o território alternativo mantém viva suas tradições, através dos signos e significados, presentes na arte. Elementos como língua, costumes e hábitos fazem parte do resgate de tais culturas na Cidade de Goiás, como, por exemplo a territorialidade do Afoxé Ayo Delê.


Palavra-chave: Territorialidade; afro-brasileiro; indígena; educação; Cidade de Goiás


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/tamoios.2005.591

ISSN: 1980-4490

Periódicos Capes Resultado de imagem para logotipo biblioteca nacional