TESSITURAS E REINVENÇÕES: (DES)FORMAÇÃO DE PROFESSORES

Viviane Lontra, Soymara Vieira Emilião

Resumo


Este artigo discute três ideias presentes nas formações: a crença em um conhecimento “potente”, as impossibilidades das políticas serem aplicadas tal como foram pensadas/escritas e o pensamento que abissaliza e invisibiliza saberesfazeres tecidos nas escolas. A abordagem epistemológica teóricometodológica inscreve-se nas pesquisas nos/dos/com os cotidianos à caça do pormenor que provoca entendimentos outros sobre a potência dos encontros de/com professores. O texto traz narrativas e relatos que sugerem que aprendemos a ser professores nas redes que tecemos nos cotidianos das escolas, em movimentos de não-linearidade. Propõe um entendimento da formação de professores na/da/com a prática que nos possibilitam pensá-la como (des)formação para além das lógicas cientificistas e colonialistas.


Palavras-chave


Currículos pensadospraticados; Estudos do cotidiano; Formação docente.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2018.34692

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - B1 - Educação
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional