REPARAR MIÚDO, NARRAR KÉKERÉ - NOTAS SOBRE NOSSA FOTOETNOPOÉTICA COM CRIANÇAS DE TERREIROS

Stela Guedes Caputo

Resumo


"O terreiro é o mundo ficando mais bonito". Diz Mene Viana Cardoso, de 3 anos, do Ilê Axé Omi Laare Ìyá Sagbá, um terreiro de candomblé, em Santa Cruz da Serra, Duque de Caxias, na Baixada Fluminese. Os terreiros, entre eles, os terreiros de candomblé, preservaram e ressignificaram modos de vida trazidos do Continente Africano durante a escravização. Conhecimentos sofisticados que atravessaram o Atlântico e foram mantidos e reinventados nesses espaçostempo. Os Estudos com Crianças de Terreiros nascem de duas grandes negações, ou de dois grandes desprezos: o primeiro desprezo é herança hegemônica deixada pelo modo dominante com o qual a modernidade "via" os cotidianos, tidos como lugar de reprodução e saberes menores. O segundo grande desprezo é aquele que marca os estudos da infância nas Ciências Sociais negando a criança como sujeito de conhecimento e participação social, portanto silenciando-as. Em um caminho original, o Grupo de Pesquisa Kékeré (pequeno em yorubá) contraria essa dupla negação para inverter e afirmar que, justamente aquilo que é considerado menor (os cotidianos), e quem é considerado menor ainda (as crianças), são fundamentos vitais para compreender a sociedade em que vivemos, bem como desestabilizar suas lógicas coloniais profundas. A proposta desse artigo é apresentar algumas notas dos caminhos desses estudos.

 

Palavras Chave: Criança. Infância. Pesquisa com os cotidoanos.  Estudos Com Crianças de Terreiro


Palavras-chave


Criança; Infância; Pesquisa com os cotidianos; Estudos com Crianças de Terreiro

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2018.34443

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - B1 - Educação
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional