O MEMORIAL DE FORMAÇÃO COMO ESTRATÉGIA DE ENSINO E PESQUISA

Ladislau Ribeiro do Nascimento

Resumo


O presente artigo parte de uma experiência em que o memorial foi pensado como estratégia de ensino e pesquisa. O trabalho contou com a participação de acadêmicos do 9º período de um curso de Psicologia ofertado em uma instituição de ensino superior (IES) privada, situada na capital do estado de São Paulo. A atividade foi projetada para estimular nos estudantes a elaboração de reflexões e análises sobre suas trajetórias pessoal, acadêmica e profissional. Produziu-se um total de 53 memoriais, posteriormente submetidos à análise de conteúdo. Os resultados indicaram o potencial deste recurso para fomentar rememorações e ressignificações de experiências vivenciadas pelos participantes em diferentes contextos.


Palavras-chave


Memorial de formação; Ensino; Educação.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2018.32787

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - B1 - Educação
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional