CRIANÇAS TUPINAMBÁ: RIOS, COLINAS, BANCOS DE AREIA E MATAS COMO LUGARES DO BRINCAR COTIDIANO

Léa Tiriba, Christiana Cabicieri Profice

Resumo


O texto apresenta resultados de pesquisa-intervenção sobre processos de escolarização indígena entre povos Tupinambá de Olivença, em especial no que diz respeito às interações afetivas e apego à natureza. Orientam a investigação concepções espinozanas e guatarrianas, bem como conceitos do campo de estudos pessoa-ambiente, tais como apego ao lugar e biofilia. Análises parciais revelam que as brincadeiras com a natureza ocupam posição de destaque na vida infantil; que as práticas escolares fortalecem sentimentos de pertencimento ao mundo natural e a inventividade das crianças, criadoras de seus próprios artefatos; e que os núcleos Tupinambá de Educação Infantil poderão inspirar pedagogias comprometidas com a escuta das crianças e a proteção de todas as formas de vida, não apenas a humana.


Palavras-chave


Crianças Tupinambá; Educação Escolar Indígena; Brincadeiras com a Natureza

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2018.30926

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - B1 - Educação
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional