PINÓQUIO, LEITURA E ESCOLARIZAÇÃO DAS CRIANÇAS PEQUENAS: COMO TRANSFORMAM-SE EM BONECOS

Talula Montiel Trindade, Sandra Regina Simonis Richter

Resumo


Diante do desafio contemporâneo da entrada de bebês e crianças pequenas na Educação Básica, o artigo aproxima educação, literatura e infância para problematizar a experiência de leitura nos processos iniciais de escolarização. A escuta das narrativas de crianças de duas escolas estaduais (RS) em torno da imagem do bom aluno apresenta semelhanças com “As Aventuras de Pinóquio”, o qual se converte em um bom menino mas pensa como um boneco. A interlocução entre a obra “Pinóquio: um livro paralelo”, a fenomenologia de Bachelard e a hermenêutica de Gadamer sustenta a ideia de linguagem como experiência existencial de mundo, na qual o sentido emerge em situação para o leitor. A alteridade nos modos de ler e interpretar o mundo permite afirmar que ler é mais, e outra coisa, que alfabetizar.


Palavras-chave


Linguagem e infância; Experiência de leitura; Escolarização

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2018.30520

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - B1 - Educação
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional