Apropriações nos territórios curriculares: cartografando de-formações na história da arte

Carin Cristina Dahmer, Marilda Oliveira de Oliveira

Resumo


Este artigo aborda os territórios curriculares a partir de um currículo escolar experienciado nas aulas de artes do ensino fundamental ao articular a temática da história da arte. Considera os planejamentos escolares a partir das relações entre os conceitos: apropriação, Archer (2012) e Argan (2006); linhas de vida de Deleuze e Guattari (2012). Objetivou-se potencializar o currículo pelo viés da de-formação (SILVA, 2004), no que tange aos seus possíveis desvios. A metodologia adotada foi a cartografia como forma de perceber os percursos de uma docência em vias de se fazer. Assim, percebeu-se como resultado as potencialidades da composição de um currículo, a partir de algumas brechas, concluindo como percurso possível o entrelaçamento da história da arte a um tempo presente.

 

DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2017.28711


Palavras-chave


docência; currículo; apropriações

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - B1 - Educação
DOI: 10.12957/teias

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional