O CORPO NOSSO DE CADA DIA: CORPOREIDADE E FORMAÇÃO DE PROFESSORES

Adrianne Ogeda Guedes

Resumo


Este artigo foi produzido no contexto da pesquisa “Corpo, arte e natureza: investigando metodologias de formação docente” (UNIRIO). Seu objetivo é apresentar alguns questionamentos inicias a cerca da necessária integração de estudos e experiências voltados para a dimensão corporal nos processos formativos do professor, centrando-se na formação inicial. Para tanto, inicia evidenciando os desafios do contexto educacional e os limites de espaço e tempo presentes nas instituições educacionais. Em seguida, assentando-se nas pesquisas narrativas e biográficas, traz elementos da trajetória de formação estética da autora com vistas e destacar elementos que podem contribuir para as práticas formativas para, em seguida, apresentar e refletir sobre alguns dos aspectos da experiência vivenciada pela autora ao ministrar a disciplina obrigatória Corpo e Movimento do Curso de Pedagogia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Como conclusão provisória, por tratar-se de uma pesquisa em andamento, sublinha-se o papel da formação como espaço de promoção de mudanças de uma sociedade heterogênea, que busca qualidade de vida para todos e que considere às expressões corporais  dos sujeitos e suas necessidades de integrá-las em seu processo de aprendizado.


Palavras-chave


Formação de professores; corpo e movimento

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2018.27937

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - B1 - Educação
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional