Formador externo: qual o sentido de sua atuação em programas de formação continuada?

Renata Barroso de Siqueira Frauendorf, Guilherme do Val Toledo Prado

Resumo


É fato que nos últimos anos, em nosso país, o cenário da educação brasileira vem atravessando momentos de muitas mudanças, incertezas e contradições. Na mídia, nos discursos políticos das diferentes instâncias públicas, sejam municipais, estaduais ou federais, há um ponto comum quando se trata de propostas e ações para enfrentar esses dilemas: o investimento na formação continuada de professores e profissionais da área em geral. Neste artigo pretendemos tecer algumas considerações sobre o sentido da atuação do formador externo no âmbito dos programas de formação continuada de modo a contribuir para o fortalecimento de uma instituição cada vez mais desacreditada e desgastada aos olhos da população.

DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2017.26633


Palavras-chave


Formação Continuada; Formador externo; Educação.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - B1 - Educação
DOI: 10.12957/teias

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional