ANÁLISE NUTRICIONAL QUANTITATIVA DE UMA DIETA DA PROTEÍNA DESTINADA A TODOS OS PÚBLICOS

Luciana Neves Faria, Anelise Andrade de Souza

Resumo


As dietas da moda podem ser definidas como padrões de comportamento alimentar não usuais e temporários, adotados por seguidores de forma entusiástica, promovendo resultados rápidos e atraentes, mas sem possuir nenhum fundamento científico. Entre elas, podem-se citar as dietas da proteína. O presente estudo teve como objetivo realizar análise nutricional quantitativa de um cardápio semanal de uma dieta da proteína publicada em um livro impresso e também disponibilizada em mídia digital, destinada a todos os públicos. Para a realização deste estudo, foi construído um modelo feminino e um masculino em sobrepeso, ambos com possibilidade de serem eventuais utilizadores da dieta. Os cardápios avaliados do livro referem-se à fase de indução da dieta da proteína. Foram realizadas análises quantitativas de energia e dos nutrientes: carboidratos, proteínas, lipídeos, fibras, colesterol, cálcio, ferro e vitamina C. Os resultados do estudo indicaram um planejamento alimentar inadequado para os modelos em sobrepeso construídos, apresentando uma dieta hiperproteica, hiperlipídica, hipoglicídica e hipercalórica, além de valores acima do recomendado para o nutriente colesterol e abaixo do recomendado para os nutrientes cálcio e fibras. Concluiu-se que a dieta da proteína não pode ser considerada saudável e equilibrada, não atendendo às necessidades nutricionais individuais, sendo importante a realização de campanhas de educação nutricional para a população, esclarecendo os malefícios que uma dieta desbalanceada e sem acompanhamento nutricional pode gerar ao estado nutricional.

DOI: 10.12957/demetra.2017.24862

 


Palavras-chave


Dietas da moda. Emagrecimento. Sobrepeso. Planejamento Alimentar.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/demetra.2017.24862